Alergia ocular

Os olhos são um alvo fácil para as alergias, isto ocorre porque quando os abrimos, a conjuntiva, membrana fina que recobre a superfície do olho, fica diretamente exposta ao ambiente. Essa membrana possui uma estrutura semelhante à parte interna do nariz, e em contato com certas substâncias pode desencadear algumas reações alérgicas.

Imagem Alergia ocular

Caracterizada como uma reação exagerada do sistema imunológico a uma destas substâncias irritantes, denominadas alérgenos (ácaros, poeiras, pólen, mofo, pelos de animais, produtos de limpeza etc.), a alergia ocular atinge entre 15% a 20% da população mundial, afetando as pálpebras e a córnea e tendo sua maior incidência em pessoas que já sofrem com algum outro tipo de alergia, como asma, rinite e sinusite.

Os sintomas de alergia ocular são similares aos dos vários tipos de conjuntivite: vermelhidão, coceira, irritação, lacrimejamento, inchaço, desconforto ocular e maior sensibilidade à luz (fotofobia). Além da causa, o que difere um do outro é o tempo de duração dos sintomas, que em casos de conjuntivite infecciosa duram de uma a duas semanas, e na forma alérgica, com administração do anti-histamínico, já no segundo dia os sintomas tendem a diminuir.

O tratamento deve ocorrer da seguinte forma:

  • Cuidados em casa
    Nas doenças alérgicas, a prevenção é a base do tratamento. Por isso, o primeiro passo é identificar e eliminar os alérgenos do ambiente, assim os sintomas apresentarão melhoras significativas.
  • Acompanhamento médico
    Pessoas que possuem alergia ocular devem buscar uma assistência médica com especialista, de preferência devem realizar um tratamento simultâneo com um oftalmologista e alergologista.
  • Medicamentos
    A fim de ajudar na melhor dos sintomas, é prescrita pelo oftalmologista a utilização de colírios. Entre os mais utilizados estão: colírios lubrificantes (proporcionam alívio discreto na coceira e “lavam” o olho); colírios anti-histamínicos (diminuem a liberação e a ação de uma substância chamada histamina, responsável pela coceira), colírios de dupla ação (são os mais usados atualmente, além de diminuírem a coceira, também interrompem o processo da alergia) e colírios de corticoides e cortisona (receitados em casos de alergias mais graves, agem rápido e de forma intensa sobre a alergia).
  • Vacinas antialérgicas
    Conhecido também como imunoterapia ou vacina para alergia, nesse método é injetado gradualmente no alérgico um número crescente de alérgenos com o objetivo de dessensibilizar o organismo às substâncias que causam alergia e estimular a imunidade do paciente.
  • Importante:
    Caso não seja tratada corretamente, a alergia ocular pode evoluir e trazer algumas complicações para a visão, como úlceras, formação de placas e surgimento de vasos anormais na periferia da córnea. Por isso, em caso de manifestação dos sintomas, busca um auxílio médico.

10 Dicas úteis para se evitar alergia ocular

  1. Reduza o número de travesseiros, roupas de cama, cortinas, bicho de pelúcia e objetos que acumulem poeira;
  2. Sempre que possível, higienize a roupa de cama com água quente e deixe-as secar ao sol;
  3. Mantenha a casa limpa, arejada e com exposição ao sol, a fim de evitar o acúmulo de ácaros;
  4. Prefira usar aspiradores de pó e panos úmidos ao limpar a casa, dispense vassouras, espanadores e objetos que podem espalhar a poeira na hora da limpeza;
  5. Elimine vazamentos de água, uma vez que estes favorecem o aparecimento de mofo;
  6. Encape colchões e travesseiros com material impermeável ou antialérgico;
  7. Faça a limpeza do ar-condicionado semanalmente;
  8. Evite coçar os olhos, além de esse hábito estimular as alergias, pode facilitar o surgimento ou desenvolvimento de ceratocone;
  9. Caso tenha animais domésticos, mantenha-os sempre limpos e tosados;
  10. Evite ambientes com muito pó, fumaça ou odores fortes.

Em caso de crise de alergia ocular, o que devo fazer?

  1. Evite esfregar os olhos.
  2. Não lave os olhos com soro fisiológico, pois o sal do soro irrita ainda mais os olhos.
  3. Aplique compressas frias sobre os olhos fechados.
  4. Procure um oftalmologista para iniciar o tratamento médico.

Fonte: CBO

Dra. Flávia Sotolani

Oftalmologista | CRM 6861

Graduada em Medicina pela UNIDERP em 2011, a Dra. Flávia Sotolani fez residência médica e especialização em Oftalmologia no Instituto Oftalmológico Tadeu Cvintal, IOTC, na cidade de São Paulo com término em 2015.

Participante ativa de inúmeros procedimentos e cirurgias, também é responsável por publicações bibliográficas de destaque.

Veja o Currículo Completo da Dra. Flávia Sotolani

Já fez o seu check-up Oftamológico?